domingo, 26 de julho de 2009

anuário full frontal

eu não vou explorar esse sábado
os sábados já tem me explorado muito

conheço pessoas que trabalham aos sábados
e nem são pagas

macabeas
como eu

vamos ficar eu e ela
em casa hoje a noite
ouvindo a rádio relógio

ou trabalhando
sem ser pagos pra isso
comendo cachorro quente
com coca cola.

se eu for até a esquina
esta noite

encontro na rua um amigo
que morreu ha uns anos

e não fui no enterro

então lhe dou um abraço
e lhe peço perdão

melhor ficar em casa

lá fora não chove

mas está frio

e não é sempre
que você tem esse tipo de encontro na vida.

vá para casa e tente esquecer
não foi nada!

se prepare para a próxima rapaz
guarde as forças para o que vem

você tem tudo o que precisa
no útero

descasque a cebola
e chegue ao caroço
morda a cebola

sugue aquele caldo
que sai dos olhos
das cebolas

é o que as pessoas deveriam fazer
guardar os sábados para isso

para tomar os chas, dos vegetais
e dançar ao redor de fogueiras
na noite fria

para se beijarem debaixo das arvores que ainda pingam
orvalho

para a embriaguez pelo cheiro da noite
feromonio feminino da dama da noite

para dizer tres vezes que
se acredita em fadas
e se acredita em botecos

para que outros ressussitem
e resolvam suas pendências

viva o agora meu rapaz
amanhã você resolve
suas pendências
pendente numa arvore
pingente

relaxe, ano que vem tem outro ano

foi bom passar tantos meses deitado
com você aí na sua cama.
com você e sua perna quebrada.

valeu cada segundo.

perdoa minhas ausências.

é, a lua fica muito atraente nesssa noites.

ausentes
aquarianas

fechado
então amanhã publicamos as fotos de nu frontal.
e ficamos ricos os dois.

temos muitas festas pra ir
cuide-se
esteja em sua melhor forma
telepática-simpática.

então caetano
quando passar aqui pelo meu telhado
vamos sentar um pouco e procurar
um pouco por discos voadores no céu.

3 comentários:

F. disse...

"telepática-simpática..."

Amei!

Ronaldo Dal´Bianco disse...

Maravilha!

Anônimo disse...

Enfim nada mais gratificante que a inimaginável capacidade de se conhecer, conhecer a se proprio. E cada proprio que existe em si. Ir é viver, retornar é viver...No final o que importa, na verdade nem importa, mas vale apena: Curtir a jornada!!!
Até porque, ás vezes ele é imeeeeeeeensa, como a Fernanda Montenegro.

(Gostei do texto mas acho que, se não ligar pra ele, o Caetano não vai aparecer)Abç.

Ass: F. Bento