segunda-feira, 29 de setembro de 2008

quero ser Kazuo Ono


Eu estava deitado na minha cama ontem à noite olhando
para um teto cheio de estrelas
Quando de repente descobri
que tenho que fazer você saber como me sinto.
Nós vivemos juntos em uma fotografia do momento
Eu olho em seus olhos
E os mares abertos para mim
Eu digo que amo você
E que sempre amarei
E eu sei que você não pode me dizer
Eu sei que você não pode.

Então, me resta coletar
As dicas, os pequenos símbolos de sua devoção.

E eu sinto seus punhos
E eu sei que é por amor
E eu sinto o seu chicote
E eu sei que é por amor
E eu sinto olhos e furos que queimam
direto através do meu coração
É por amor
É por amor

Então eu aceito e recolho no meu corpo
As memórias de sua devoção.

Dá-me um pouco mais de amor sério
Dá-me um pouco de amor pleno
Esteja cheio de amor

Punhos, punhos, punhos cheios de amor ...

2 comentários:

pardal disse...

pular do vigésimo andar é o mesmo que voar? esperamos que sim. assim como nadar no fundo do mar é o mesmo que flutuar no universo.

pardal disse...

punhos cheios de amor é uma coisa doida hein?