quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Algum Dia Você Poderia?

Manchei o mapa quotidiano
jogando-lhe a tinta de um frasco
e mostrei oblíquas num prato
as maçãs do rosto do oceano.

Nas escamas de um peixe de estanho
li lábios novos chamando.

E você? Poderia
algum dia
por seu turno tocar um noturno
louco na flauta dos esgotos?

1913
Maiakovski
tradução Aroldo de Campos

*************************

A poesia do bueiro Mari,
ele já tinha escrito primeiro.

************************

2 comentários:

marianadias disse...

poesia do bueiro é fundamental
obrigada pela escolha
e doacao!

Fabrissa Valverde disse...

PHODA!!!! Muito foda!!!!
Bueiro abrace-me forte. Owunn...

Agora eu li! :)